Qual a utilidade de varandas e sacadas nas moradias de idosos, mesmo quando demenciados?

Varandas são espaços de transição entre os ambientes interno e externo de uma moradia. Mesmo pequenas, ou suspensas em apartamentos, representam a possibilidade de contato com a natureza, permitindo constatar as mudanças do clima e podendo conviver com plantas e outros elementos que produzam aromas, cores e sons. Fontes com movimento de água produzem frescor e sonorizam o ambiente, causando uma sensação de tranquilidade. Esses espaços geralmente sugerem a colocação de floreiras, a depender da incidência de sol e da ventilação, o que pode atrair borboletas, besouros e até pequenos pássaros, criando movimento e sugerindo que a vida continua além das pessoas presentes – ou da falta delas.

A solidão que acomete muitos idosos, institucionalizados ou não, nem sempre depende da quantidade de pessoas que circulam próximas a eles. Ao invés disso, a sensação de invisibilidade que o sentimento de estar só traz pode ocorrer em salas muito cheias, com muitas pessoas falando e com o aparelho de TV ligado. São ruídos, não são sons organizados para estabelecer uma comunicação direta ou para entreter, causando desconforto e desânimo. Se essa situação pode incomodar moradores com poucas dependências, o que se dirá de idosos demenciados que, pela própria doença, ficam desorientados pela dificuldade de lembrar dados simples como nomes, rotinas e outras atividades antes praticadas normalmente.

Buscar ambientes onde haja algum sentido torna-se uma meta para muitos idosos. Os que elaboram produtos manuais, sentarão onde haja luz adequada e conforto suficiente para o tempo que precisarem. Os que leem, buscarão o silêncio que permita concentração e uma postura que não force o corpo. Aos que apreciam uma boa conversa, os espaços de estar possibilitam arranjos de assentos em que as pessoas interagem sem esforços, especialmente os auditivos. Para todos os casos, a escolha do “cantinho” preferido determina uma sensação de domínio sobre seu território pessoal, de escolha e apropriação de espaços na sua casa. Porque, mesmo sendo coletiva, é a casa deles.

Idosos demenciados em estágio mais avançado já pouco exercem a agência, tampouco sentem-se pertencentes, sendo colocados nos lugares da casa de acordo com o critério de cuidadores, que lhes desejam o melhor. Nesse caso, a percepção de elementos naturais pode resgatar reminiscências importantes, a partir de momentos de prazer, e trazer-lhes efetivo conforto. As varandas e sacadas são muito úteis nesse sentido pela possibilidade de agregar cores de plantas, sons de pássaros (mesmo que sejam gravados) e de água corrente, assim como texturas variadas no piso e controle da insolação, privilegiando o período da manhã com o sol germicida. Além disso, evidenciam a passagem do tempo, ser dia ou noite, auxiliando na percepção de que há vida em movimento. O carinho, a atenção e o respeito ainda dependem da presença de pessoas conscientes de que a velhice é o futuro da maioria de nós e, portanto, possibilitar pequenos prazeres será sempre uma forma de oferecer dignidade.

2 comments on “Qual a utilidade de varandas e sacadas nas moradias de idosos, mesmo quando demenciados?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.