Que dimensões devem ser observadas para que haja uma boa relação entre idosos institucionalizados e auxiliares do cuidado?

Nem sempre a mudança para residenciais assistidos decorre da decisão do próprio idoso, embora seja sempre preferível para que os impactos sejam minimizados. Basicamente, são duas questões que podem causar sofrimento: primeira, a necessidade de deixar para trás seus objetos, muitos deles coletados como parte da história do indivíduo e, portanto, responsáveis pela sua memória […]Read Post ›

Em que medida a intergeracionalidade em moradias institucionais pode contribuir para a qualidade de vida dos idosos moradores?

Muito se apregoa sobre os benefícios da convivência produtiva entre gerações, visto que se esgotaram críticas à falta de respeito dos mais jovens, o que somente demonstra o desequilíbrio ético da nossa sociedade, independentemente de idade e condição sociocultural. Todos têm algo a aprender e a ensinar, seguindo a máxima de que quanto mais aprendemos, […]Read Post ›

Por que tantos termos precisam ser utilizados quando se descrevem moradias na velhice?

Há algum tempo venho desenvolvendo reflexões sobre a quantidade de termos sendo utilizados para indicar moradias institucionais, tecnicamente chamadas de Instituições de Longa Permanência para Idosos – ILPI, termo formalmente definido para que houvesse parâmetros para o bom funcionamento. Além da quantidade de palavras, carrega o peso de ser uma “instituição”, o que as associa […]Read Post ›

Unidades habitacionais em condomínios exclusivos para idosos podem receber moradores mais jovens?

O preconceito com residenciais para idosos, oficialmente denominados Instituições de Longa Permanência para Idosos e associados aos antigos asilos, ainda é muito significativo no Brasil. Tenho insistido que considero urgente pensarmos em residenciais para idosos com características mais apropriadas para diferentes situações de velhice, pois é heterogênea e já não é mais aceitável pensarmos que […]Read Post ›