O que esperar das instituições para idosos hoje?

Antigamente falava-se em asilo, termo que se refere a isolamento, como um lugar destinado ao fim da vida e do qual não se voltava ao convívio social. Alguns termos que, mesmo bem intencionados, tentavam amenizar essa leitura, tornavam as instituições destinadas a idosos ainda mais estigmatizadas, tais como Lar dos Velhinhos ou Cantinho do Vovô.

O termo Instituição de Longa Permanência para Idosos foi atribuído pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – SBGG – a partir do original em inglês, Long Term Elder Care. Apesar de útil para o controle e sistematização dos serviços, hoje temos diferentes perfis de instituições sob a mesma nomenclatura, apenas sendo diferenciadas pelo atendimento prestado a idosos com diferentes graus de dependência. Mesmo assim, muitas atendem todos, organizando o espaço por setores ou optando por não segregar idosos em fases moderadas de demência desde que não apresentem comportamentos agressivos. O que por um lado parece justo e poderia ser visto de modo natural por todos, para muitos idosos com funções cognitivas preservadas essa convivência é incômoda e indesejável, evitando aproximações.

Ainda surgem empreendimentos em más condições de espaço e prestação de serviços, pois nem sempre são formalizados e, portanto, não são fiscalizados. Aos poucos, através de denúncias, esses estabelecimentos são fechados e esse tipo de risco diminui consideravelmente. Por outro lado, o aumento significativo da demanda por vagas em boas instituições faz com que haja o empenho em melhores ofertas, até porque os preços nem sempre são acessíveis aos cuidadores familiares.

Mesmo que haja ainda muito a melhorar, as instituições de moradia para idosos oferecem suporte para cuidados nas atividades da vida diária, boas condições de higiene e manutenção, além de alimentação balanceada e atividades extras para ocupação do tempo livre. Há obrigatoriedade na contratação de profissionais responsáveis por esses setores, além de outros que complementam os postos de trabalho para o pleno funcionamento das casas. Sugiro três filmes muito interessantes para compreender como funcionam: “O Quarteto” e “De Bem com a Vida”, ambos ingleses, e “Juan e a Bailarina”, filme argentino muito divertido, com histórias que se desenrolam em instituições de moradia coletiva para idosos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.