Por que os filhos pensam que sabem como seus pais idosos querem morar quando estão sós?

É frequente encontrarmos casos de idosos que são levados a moradias institucionais por seus filhos sem que sejam consultados antes sobre isso. Evidentemente, quando há graus de dependência que exigem cuidados mais intensivos, se não houver a disponibilidade de familiares para esse acompanhamento, é uma solução que garante qualidade de vida por oferecer segurança e atendimento adequado. A permanência com a família será sempre preferível, mas nem sempre é a melhor opção, pois pode comprometer a autonomia e, em especial, a privacidade tão desejada por todos.

No filme “Do Jeito que Elas Querem” (EUA, 2018), quatro amigas de juventude personificadas por atrizes de primeira grandeza, personagens bem-sucedidas e com mais de 60 anos, reúnem-se semanalmente para discutir leituras comuns. Vivian, vivida por Jane Fonda, sugere o best-seller “Cinquenta Tons de Cinza” e provoca a reação das amigas, que consideram uma literatura sensacionalista, mas resolvem ler e passam a refletir sobre suas próprias relações amorosas. Cada uma tem sua história nesse sentido, mas é a de Diane, vivida por Diane Keaton, que inspira esta reflexão.

Viúva havia dois anos, mãe de duas filhas casadas e prestes a ser avó, foi convidada a mudar para a casa de uma delas em outro estado americano, pois preocupavam-se com o fato de ela correr riscos morando sozinha e porque, diziam, o pai era tão saudável e morrera repentinamente. Portanto, ofereciam cuidados e a queriam próxima, chegando a reformar o porão colocando barras de apoio e outros dispositivos para a desejável manutenção da segurança. Mas ela conhece um homem em uma das suas viagens para a casa da filha e, envolvida com ele (Andy Garcia), teme que critiquem e resolve passar algum tempo juntos, mentindo para as filhas. Seu sumiço as deixa em pânico e colocam a polícia no seu encalço, descobrindo assim o paradeiro da mãe e “resgatando-a” do parceiro. Seu medo de assumir um relacionamento a faz decidir mudar para a nova casa no porão mas, ao chegar lá, percebe que precisa impor seu desejo, o que é respeitado pela duas filhas, que certamente a amam.

Os filhos procuram o que consideram a melhor solução para garantir uma velhice segura, mas geralmente desconsideram que relacionamentos anteriores não são suficientes para preencher o universo amoroso de qualquer pessoa saudável. A necessidade de afetos abrange mais do que aqueles oferecidos pela família, tão necessários, mas que não suprem a emoção do desejo e dos prazeres que são mantidos, mesmo que com intensidades diferentes desde a fase da juventude. Paixões são mais do que desejos físicos e envolvem o compartilhamento de emoções íntimas, desde as alegrias até os temores inerentes à existência humana, tanto maiores quanto mais se vive. Enfrentá-los é o primeiro passo para saber decidir sobre como desejamos morar na velhice.

2 comments on “Por que os filhos pensam que sabem como seus pais idosos querem morar quando estão sós?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.