Por que idosos que têm netos consideram importante preparar a casa para recebe-los?

A relação entre avós e netos geralmente é muito positiva, pois basicamente representa a continuidade da família através do amor dos filhos. Costuma-se dizer que “netos são filhos com açúcar”, pois a obrigatoriedade de educar já não é uma prioridade e o prazer de tê-los próximos, acompanhando sua evolução e comemorando suas vitórias, cria uma relação diferente daquela construída com os filhos. Soma-se a isso a possibilidade de contar com mais tempo livre, em especial depois da aposentadoria, o que permite uma relação carinhosa e mais frequente. Porém, com o avanço da idade, os sonhos já passam a ser planejados e colocados em prática, o que não obriga os avós a assumirem a rotina dos filhos com seus netos, retomando o tempo para o lazer desimpedido e com horários flexíveis.

A moradia pode ser a mesma que foi constituída com os filhos, portanto com espaço para abrigar hóspedes eventuais. Apesar disso, os hábitos já são sistematizados e as rotinas envolvem atividades em geral relacionadas a atender momentos divertidos. Como preparar a casa para receber os netos, sem perder a autonomia alcançada na maturidade, mas podendo acarinhá-los para que se sintam acolhidos na casa dos avós?

Em A Fuga dos Avós (França, 2019), um casal de 62 anos decide realizar seu sonho: vender a casa na França para adquirir outra em Portugal, onde gostariam de morar. A notícia de que a mãe dele teria pouco tempo de vida impactou na decisão e, partir daí, percebem que os filhos os veem desocupados e “velhos” em função da aposentadoria. A crise no casamento da filha os torna co-responsáveis pelos netos nos compromissos diários, além de obriga-los a acolher o genro, expulso de casa. A venda da casa não evolui como previsto, mais um obstáculo que atrasa os planos. Esclarecida a condição de saúde da matriarca, muito boa apesar da idade, deixa de ser uma preocupação para a família, e a mudança dela para um residencial de idosos mostra o quanto sua alegria e vontade de viver contagia os outros conviventes. No final, a solução surpreende o expectador, numa demonstração de que os laços familiares entre avós e netos é muito importante para todos.

Repensar a moradia na velhice significa definir como e com quem se deseja passar os dias. Grandes mesas de jantar ocupam um grande espaço, mas possibilitam reuniões com amigos e familiares. Salas de estar com grandes poltronas reclináveis são excelentes para assistir TV, ouvir música e conversar a dois, mas diminuem o espaço para acrescentar mais assentos para receber outras pessoas. Objetos decorativos delicados e quebráveis devem estar em locais que não exijam a contenção de crianças pequenas, evitando convivências tensas ou trocas de última hora. Os novos condomínios oferecem espaços de convivência que resolvem isso: brinquedoteca, espaço gourmet, salão de festas e áreas de estar são extensões da unidade habitacional e fazem parte do programa da moradia, mesmo de forma compartilhada. Se os netos vêm em casa, que haja espaço para acolhê-los com carinho e amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.